FILHOS
Refeições em família podem ajudar os pequenos a comerem melhor
“Ah, isso é normal”, ouvimos muito esta frase sobre a rejeição das crianças na hora de comer. Algumas chegam a fazer birra e ter ânsia de vômito. Quem nunca?
Estudo quis saber o motivo das rejeições.
Como introduzir uma alimentação saudável desde cedo sem birra? (Foto: Pexels)

Para entender melhor o que acontece e sugerir maneiras de ajudar os pequenos a se alimentarem melhor e de forma mais saudável, um estudo brasileiro reuniu 77 mães de crianças entre 3 e 4 anos.

Características das mães foram notadas como um dos aspectos para as dificuldades enfrentadas na hora de comer, pois é, mães com um perfil controlador (40%) ou perfil permissivo (20%). O Centro de Dificuldades Alimentares do Instituto PENSI, do Sabará Hospital Infantil (SP) dividiu as mães em dois grupos para o estudo, as responsivas e as não-responsivas.

O primeiro grupo de mãe evitava forçar a criança a comer e incentiva a autonomia na hora das refeições em um ambiente considerado adequado (à mesa e não na frente da TV, por exemplo). Enquanto que o segundo grupo de mães usava distrações como celulares e tablets (82%), faziam chantagem e não respeitavam os sinais de saciedade da criança (98%), entre outros comportamentos notados.

Entre as posturas inadequadas, havia:

  • Comer no chão e em cima da mesa (73%)
  • Usavam a força (66%)
  • Permitiam a refeição ser no quarto, em frente à TV ou entre brinquedos (53%)

Calma! Não se sinta culpada se você já usou destes artifícios apresentados pelo segundo grupo de mães. Nenhuma mãe é perfeita e todas erramos em determinadas circunstâncias.

Tratando-se de dificuldades comportamentais, nada melhor que prezar por mais presença na hora das refeições. Segundo sugestões de especialistas ouvidos pela revista Crescer, isso seria:

  • Sorrir e usar palavras de encorajamento e conversar com a criança sobre comida;
  • Fazer contato visual ao longo da refeição;
  • Alimentar a criança com disposição, paciência e sem pressa;
  • Esperar a criança terminar de mastigar, engolir e mostrar sinais de saciedade antes de oferecer mais comida;
  • Oferecer alimentos que possam ser manipulados sem o auxílio de um adulto;
  • Oferecer alimentos sem distrações e coerção;
  • Comer em família pelo menos uma vez ao dia.

Boas refeições em família e muita calma nessa hora, não se esqueça.

O Mais Mulher entende o universo feminino e traz informação sobre alimentação saudável, atividade física, yoga, amor, sexo, moda, comportamento e beleza em um só lugar.