FILHOS
Discutir na frente das crianças não é nada legal, saiba porquê
Debater relação, a famosa DR, na frente dos filhos é bem prejudicial para eles e um recente estudo aponta as principais consequências.
Pais que discutem na frente dos filhos geram ansiedade e outros sintomas na criança.
Do ponto de vista da criança, ver suas principais referências discutindo causa prejuízos em seu desenvolvimento. (Foto: Pexels)

Não discuta a sua relação na frente do seu filho, este é um grande erro que afeta diretamente o desenvolvimento dele. Gera ansiedade, culpa, insegurança, comportamento agressivo e dificuldade de se relacionar com outras pessoas, entre outros problemas que tanto os meninos como as meninas podem apresentar. A especialista em neuropsicologia, Thaís Quaranta bem coloca:

“O pai e a mãe são as primeiras e principais referências das crianças. Já sabemos que, desde pequenos, antes dos dois anos, os filhos conseguem observar e repetir o comportamento deles. Portanto, se as brigas são muito recorrentes, se há demonstração de raiva e xingamentos, existe uma predisposição maior da criança a ter mais ansiedade e insegurança.”

O departamento de ciências psicológicas da Universidade de Vermont publicou no “Journal of Social and Personal Relationships” que o desenvolvimento neurológico da criança também pode ser prejudicado ao presenciar mãe e pai discutindo relação.

Participaram do estudo 99 crianças. As que presenciam brigas frequentes dos pais, mesmo leves, tendem a ser ansiosas. É preciso ter atenção aos sinais da criança, que ainda não tem maturidade emocional para lidar com a situação e expor seu sentimento, ela pode manifestar-se com mudanças de comportamento.

Discordâncias, ok, elas fazem parte! Mas querem discutir, vão perder o equilíbrio? Escolham momentos em que a criança não esteja em casa ou saiam para algum local, é a dica da terapeuta Denise Miranda de Figueiredo, cofundadora do Instituto do Casal.

Mas se já brigou na frente o que fazer?

Em vez de fingir que anda aconteceu. Sente-se e explique que adultos às vezes têm problemas e que eles precisam ser resolvidos, mas que tudo passa e ficará tudo bem. Outra dica é não envolver a criança no conflito, mesmo que ela tenha relação com o motivo da discussão.

Geralmente, as crianças presenciam apenas a parte ruim da história. Perdão e demonstrações de carinho também podem e devem ser compartilhadas. Se ela viu a discussão, é importante que presencie os pedidos de desculpas.

E, mesmo que vocês não estejam mais juntos, o indicado é a criança perceber que há uma relação cordial e de respeito.

Prejuízos para a criança

Ansiedade;

Insegurança;

Dificuldade para se relacionar com os amigos e as professoras na escola;

Podem apresentar complicações nos relacionamentos amorosos mais sólidos;

As crianças menores (com menos de 5 anos) podem apresentar sintomas mais físicos como voltar a fazer xixi na cama ou não conseguir dormir.

O Mais Mulher entende o universo feminino e traz informação sobre alimentação saudável, atividade física, yoga, amor, sexo, moda, comportamento e beleza em um só lugar.