INTIMIDADE
Secura vaginal, quem nunca? Entenda fatores e cuidados
Para combater o ressecamento vaginal há algumas dicas importantes, a principal delas: pode não ser falta de amor ou desejo sexual na relação.
Falta de lubrificação pode ter diversos fatores, que não falta de amor.
Secura vaginal: acontece, então vamos falar disso. (Foto: Pixabay)

Falta de lubrificação na vagina acontece e causa um chato desconforto, principalmente, no momento do sexo. A lubrificação é a responsável por abrir caminho para uma penetração fácil e sem dor.

Principais causas para a falta de lubrificação

  1. Falta de imaginação: “Como assim?”, você pode pensar. Como Arnaldo Jabour escreveu na letra que Rita Lee canta: “Sexo é imaginação, fantasia…”. Lubrificação também! Deixe sua mente alimentar o físico para tudo funcionar melhor, nada de preguiça, comodismo ou culpa. Sua mente é livre.
  2. Falta de preliminares: Elas dão um up na excitação e aumentam o fluxo sanguíneo para a região genital, importante elemento na formação da lubrificação vaginal. Reduzir as preliminares e ir logo para a penetração é dar chance para a falta de lubrificação.
  3. Alteração hormonal: Além da falta de preliminares e de questões psicológicas como: estresse, cansaço, ansiedade, a lubrificação, há variações hormonais em várias fases da vida da mulher.

Um hormônio muito importante para manter a lubrificação é o estrogênio, porém ele pode sofrer queda e provocar o ressecamento vaginal nas seguintes fases e eventos da vida da mulher:

  • Parto e amamentação
  • Cirurgias para retirada dos ovários
  • Tratamento de radiação ou quimioterapia para câncer
  • Medicamentos anti-estrogênio usados para tratar endometriose
  • Menopausa

Outros possíveis fatores para o ressecamento vaginal

  • Medicamentos para alergia e frio, certos antidepressivos
  • Síndrome de Sjögren (doença auto-imune que ataca as células do organismo que produzem umidade)
  • Experiências negativas em relação ao sexo
  • Diminuição do desejo

Cuide-se fazendo um diagnóstico

A mulher que tem um ciclo menstrual irregular ou apresenta ressecamento deve ir a uma ginecologista que irá investigar a causa e propor um tratamento adequado.

Se está tudo bem fisicamente e hormonalmente segundo a ginecologista, um terapeuta especializado em tratamentos para problemas no sexo ou psicólogo especialista em sexualidade podem ajudar.

Atenção, meninas, para os lubrificantes

O lubrificante deve ser escolhido de acordo com a necessidade de cada mulher, definitivamente, não há um lubrificante ideal e possibilidades de problemas de saúde íntima devem ser investigadas.

Importante ficar de olho no rótulo. Quem é propensa a irritação vaginal ou infecção, deve evitar lubrificantes com:

Estimulantes (como o mentol), agentes de aquecimento (como propilenoglicol), álcoois (como acetato), conservantes (como parabeno), espermicidas e aromatizantes.

Evite lubrificantes à base de petróleo ou substâncias derivadas de petróleo. Pode aumentar o risco de irritação, infecção bacteriana a alergia vaginal tecidual.

Vaselina (vaselina) e óleo mineral não podem ser usados com preservativos de látex. Evite sempre!!!

Fisioterapeuta uroginecológica. Membro da Associação Brasileira de Fisioterapia em Saúde da Mulher (ABRAFISM).