ALERTA
Atenção, meninas! Microagulhamento caseiro, não né
A youtuber Lorena Rodrigues, 25, mostrou seu rosto após procedimento ter dado errado. Agora, fica o alerta para a mulherada sobre o método para estimular o colágeno.
Risco de tratamentos estéticos caseiros.
A youtuber Lorena Rodrigues depois de uma tentativa de microagulhamento caseiro com cremes estéticos. (Foto: YouTube Lorena Rodrigues)

Não é porque o rolinho de microagulhamento é vendido na internet por 29 reais que você vai comprar e fazer em casa, certo? Tudo bem que o preço do tratamento em uma clínica especializada é bem salgado, chegando a custar 7 mil algumas sessões. Mas o procedimento, que promete suavizar manchas de espinhas e até rugas, deve ser realizado por profissionais.

Na onda do “Do it youself” (faça você mesmo), há mais de 85 mil vídeos na internet ensinando como usar o dermaroller (marca alemã que agora é uma espécie de sinônimo do microagulhamento). A técnica começou a ficar conhecida após algumas celebridades aparecerem em seus canais sociais com pontos de sangue no rosto falando sobre o microagulhamento.

Gente, o que aconteceu com a Lorena: ela, que é estudante de veterinária, comprou o tal aparelhinho pela internet e conseguiu uns cremes à base de vitamina C e ácido hialurônico com uma amiga que trabalha em uma clínica de estética. Passou a pomada anestésica que vem junto com o roller no rosto e mandou ver. “Acho que passei com muita força”, relatou Lorena.

Para que não sabe, as microperfurações do microagulhamento têm como objetivo aumentar a produção de colágeno da pele estimulando os fibroblastos. Há também outro uso, mais superficial, que diz ajudar na penetração de cosméticos, dizendo potencializar seu efeito.

Acontece que há contraindicações para o procedimento que também requer muitos cuidados pois há grande risco de infecção.  Pessoas com herpes, queimadura de sol, casos mais graves de acne, diabetes não devem realiza-lo. Outro ponto a ser ressaltado é que ainda há muitos estudos a serem realizados para comprovar a eficácia do microagulhamento.

“Se a pessoa não fizer uma assepsia perfeita do rosto, ela pode acabar se infectando ao perfurar a pele que está cheia de bactérias”, disse o dermatologista Renato Lima à Folha de São Paulo. Lorice Issa Miguel, fisioterapeuta especializada em estética ainda acrescenta: “Estamos sempre com luvas, máscara, touca. Todos os instrumentos são esterilizados e os cremes e substâncias que aplicamos na pele têm agentes bactericidas”.

Por ser um procedimento estético invasivo, há também uma certa discórdia entre dermatologistas e esteticistas sobre o quem pode executa-lo e com qual tamanho de agulha. Médicos poderiam usar agulhas mais profundas e outros profissionais de saúde agulhas menores.

O mais importante: não tente realizar você mesma o microagulhamento. Informe-se bem sobre o local e os profissionais que irão realizar o procedimento caso você queira testá-lo e, antes de tudo, consulte-se com uma dermatologista. Pode ser que o seu caso não necessite de um tratamento invasivo, mas sim de uma rotina mais saudável e uso de cremes específicos para o seu tipo de pele. Sem loucuras!

O Mais Mulher entende o universo feminino e traz informação sobre alimentação saudável, atividade física, yoga, amor, sexo, moda, comportamento e beleza em um só lugar.