MULHER
Dia Internacional da Mulher: Inspire-se e engaje-se com outras mulheres
Adoramos acompanhar causas femininas pelo site 'Think Olga'. Além de discutir temas importantes para o dia a dia da mulher, ele compartilha feitos que empoderam.

Ativismo e Cidadania

Você deve ter acompanho a hashtag #PrecisamosFalarSobreAborto na virada feminista a favor da legalização do aborto no Brasil no dia 28 de setembro de 2016. A ação foi organizada por Jéssica Ipólito (Gorda & Sapatão), Joice Berth (Justificando) e Thaís Martins (Ativismo de Sofá) em parceria com o site Think Olga. O Facebook ficou lindo pela Descriminalização do Aborto.

Sim, precisamos falar desse e de muitos outros temas.

Solidariedade

Basta rolar a página no site Cabeça e Coração para ver muitas mães de bebês com microcefalia pela epidemia do vírus Zika precisando de apoio. Para sensibilizar e arrecadar doações às mães, mãe e filhas – Cida Nicolau, Maria Clara Vieira e Júlia Vieira – de São Bernardo do Campo (SP), criaram a fanpage que conta com quase 6 mil curtidas.

Abaixo os padrões!

O canal Hel Mother, da jornalista e mãe Helen Ramos, fala abertamente da maternidade. Com abordagem bem-humorada, ela, que é mãe solteira, fala das dificuldades da criação solo, da dificuldade de estabelecer uma relação de sexo casual, de mudanças nas amizades e outros sintomas comuns no universo feminino. Lançado no Dia das Mães de 2016, o canal já conta com mais de 23 mil inscritos.

Comunhão porque junto é melhor

Imagina um ponto de encontro online com mulheres talentosas dispostas a trocarem conhecimentos e objetos que não querem mais. Tão maravilhoso que vai virar um aplicativo! Mais informações pela hashtag #maisamorentrenos e pela fanpage do movimento Mais Amor Entre Nós com mulheres de diversas partes do Brasil.

Mulheres Cientistas

Lançado em julho de 2016, site lindo de conhecer! Ciência & Mulher é um portal de divulgação científica da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência que destaca o papel das mulheres cientistas e suas contribuições para diversas áreas da ciência.

M’Ana

Consertos domésticos realizados por mulheres para outras mulheres para evitar o risco de assédio ou situações desagradáveis (quem nunca?). É a M’Ana – Mulher conserta pra mulher, prestadora de serviços de manutenção residencial e comercial. A idealizadora é cineasta inconformada com a abordagem de um entregador de gás, perguntando se ela estava sozinha em casa. Que tal um curso de manutenção doméstica?

Meninas não gostam só de ballet

Amanda Nunes, a atleta baiana de UFC, tornou-se a primeira atleta feminina brasileira campeã UFC (Ultimate Fighting Championship), principal torneio de MMA do mundo. A nossa judoca carioca Rafaela Silva, negra, periférica e lésbica, conquistou o ouro olímpico durante as Olímpiadas 2016 e agora é da equipe de embaixadores dos Jogos Olímpicos Escolares da Juventude, que incentiva a prática esportiva entre jovens de 12 a 17 anos.

Meta é meta!

Dalvina Borges Ramos você deve ter visto na mídia. A diarista de São Paulo (SP) que economizou R$ 150 mil e contratou arquitetos para reformar sua casa. A obra foi vencedora do prêmio Building of the Year 2016, realizado pelo site internacional ArchDaily, como melhor construção.

Apanhar não dá

Mete a Colher é uma rede colaborativa de Recife (PE), brevemente um app, que surgiu a partir de uma startup (Weekend Women), voltada para as mulheres que estão em relacionamentos abusivos. A fanpage atende pedidos de ajuda e compartilha relatos de quem já passou por esta situação.

A ideia das criadoras Aline Silveira, Carol Dani, Emily Blyza, Lhaís Rodrigues, Renata Albertim, Thaísa Queiroz, é conectar mulheres de forma rápida e segura, com geolocalização, e auxílios em quatro categorias: apoio emocional, ajuda jurídica, abrigo temporário e oportunidades de trabalho.

O Mais Mulher entende o universo feminino e traz informação sobre alimentação saudável, atividade física, yoga, amor, sexo, moda, comportamento e beleza em um só lugar.