PRAZER
Yeah, orgasmos múltiplos. Dicas para chegar lá mais de uma vez
Se você já teve um orgasmo, sabe como é gostoso. Psicóloga fala sobre como alcançar orgasmos múltiplos na mesma relação sexual ou masturbação. Ui! Já pensou?
Mais orgasmos! Saiba como chegar lá.
Dicas de como ter orgasmos múltiplos na mesma relação sexual ou masturbação. (Foto: Shutterstock)

O pico do prazer, o clímax, a sensação de bem-estar e o relaxamento que vem depois do orgasmo. É uma experiência que dá vontade de repetir, não dá? Ter mais de um orgasmo na mesma relação ou durante a masturbação é possível. Quando mais de um orgasmo acontece em intervalo pequeno de tempo, geralmente segundos ou minutos após o primeiro, damos o nome de orgasmos múltiplos.

Para chegar lá com mais facilidade é preciso apenas conhecer o seu próprio corpo e as técnicas certas. Depois do primeiro orgasmo acontecem duas reações importantes no corpo da mulher:

1. O clitóris fica muito sensível à estimulação: Isso quer dizer que toques diretos no clitóris logo após o primeiro orgasmo podem incomodar ao invés de excitar. Portanto se o clitóris estiver sensível, é bom evitar estimula-lo diretamente logo após o orgasmo.

2. Outro ponto importante é a circulação sanguínea: O sangue que fluiu para a região do quadril, para a vagina e os órgãos internos durante a excitação e o primeiro orgasmo demora a retornar ao normal. Isso quer dizer que a região como um todo permanece sensível por um bom tempo (o processo do corpo voltar ao normal, para o estado de repouso, pode levar até uma hora).

Se ainda há tesão e disposição para continuar as carícias, é possível sim ser estimulada novamente. Mas atente-se à sensibilidade do clitóris. Há o estímulo mais adequado para cada momento. Quando o primeiro orgasmo termina, experimente voltar aos toques e carícias do começo da relação. Invista em toques mais difusos, espalhados, que estimulem vários pontos da vulva e da vagina como os grandes e pequenos lábios, por exemplo.

Treinar é preciso

Se você não conseguir ter mais de um orgasmo tão facilmente, continue tentando. É repetindo que o corpo aprende, como acontece em qualquer outra habilidade física como dançar, jogar bola, beijar bem… é preciso praticar. Com o orgasmo funciona do mesmo jeito. Algumas técnicas podem ajudar o próximo orgasmo:

1. Toques longe do clitóris

Depois do primeiro orgasmo, como o clitóris fica muito sensível, toca-lo diretamente ou com muita força e pressão pode gerar dor. Então, prefira movimentos circulares ao redor do clitóris.

2. Movimentos para cima e para baixo

Outra técnica muito utilizada é fazer movimentos para cima e para baixo desde a entrada da vagina, grandes e pequenos lábios, passando por cima do clitóris levemente, espalhando lubrificação da vagina na região. Estes movimentos podem ser feitos com as mãos, a boca, a língua, o pênis ou com acessórios eróticos, como um vibrador, por exemplo.

3. Abrace a vulva

Outra dica interessante é tampar toda a região da vulva com a palma da mão e pressionar bem levemente. Pode utilizar também a boca, mas mantenha a pressão leve. É como dar um grande abraço na região. Esta técnica também ajuda a manter a excitação sem incomodar e prepara para o próximo passo.

4. Toques diretos e indiretos

Há mulheres que conseguem sentir prazer com toques diretos e rápidos na região do clitóris ou durante movimentos rápidos de penetração logo após o primeiro orgasmo. Estes toques são feitos diretamente no clitóris. Algumas ideias são: esfregar a região, dar leves batidinhas, lamber para cima e para baixo e ir aumentando a velocidade destes movimentos. Manter a carícia constante, sem variar muito é mais indicado até o próximo orgasmo chegar.

5. Pequenos e grandes lábios

Puxar os pequenos e grandes lábios e cobrir o clitóris com eles, como um sanduíche é uma boa dica. Assim, as camadas de pele fazem uma proteção e o toque na região do clitóris fica mais macio (Às vezes não é possível fazer este movimento, porque cada vulva é diferente e há mulheres com mais ou menos lábios).

Lembre-se do mais importante: fale ou sinalize o que deseja e o que te dá mais prazer. A experiência de prazer só é válida enquanto você estiver gostando. Por isso também não se preocupe muito com a quantidade de orgasmos. Às vezes, ter um orgasmo pode ser tão bom quanto ter cinco.

6. O ponto G

O ponto G é um ponto de sensibilidade na parte interna na vagina, na parede de cima a cerca de 4 a 5 centímetros de distância da entrada da vagina. Algumas mulheres relatam que sentem prazer e sensibilidade nesta região.

Ter o ponto G estimulado com a penetração dos dedos ou de acessórios como o vibrador, por exemplo, pode ser muito excitante para um próximo orgasmo. O ponto G pode ser uma alternativa quando o clitóris fica muito sensível depois do primeiro orgasmo. O ponto G deve ser estimulado com cuidado, por exemplo, pressionando e soltando, pressionando e soltando. Carícias simultâneas na região anal ou em outras regiões do corpo aumentam o tesão.

Cada mulher tem o seu prazer

Há relatos de mulheres que atingiram o orgasmo pelo clitóris, com penetração, com toque anal, com toque nos seios. Portanto, fique atenta aos sinais do seu corpo e da sua mente. Tudo que gera tesão sexual: uma fantasia, um lugar, uma carícia, uma conversa com alguém especial gera também combustível para o orgasmo.

Produtos que facilitam o alcance de orgasmo múltiplo

Existem muitos produtos no mercado que prometem orgasmo múltiplos: desde cremes e géis até vibradores e massageadores. O mais importante não é o que você vai usar, mas como vai usar.

Lembre-se: Cada mulher tem uma preferência, por isso preste atenção à comunicação com seu parceiro ou parceira para que ambos tenham certeza de que os toques estão excitantes.

Gostou das dicas? Elas são da psicóloga especialista em Sexualidade Humana Gabriela Pavani, da equipe do site Sexo Sem Dúvida.

Psicólogo, terapeuta Sexual e co-fundador do portal Sexosemduvida.com, pós-graduado em Terapia Sexual pelo Instituto Brasileiro de Sexologia e Medicina Psicossomática de São Paulo (ISEXP/SP) e pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo/SP. Com especialidades em Sexualidade, Orientação e Terapia Sexual e de Casal .