SEM PREGUIÇA
Não vai malhar na viagem? Saiba qual é o prejuízo de parar durante as férias
Faça chuva, faça sol, pense duas vezes antes de não se exercitar. Na primeira semana, você já terá perdido algumas importantes conquistas.

Quando você encerra ou diminui sua rotina de atividade física ocorre um destreinamento. A gente perde as adaptações fisiológicas que o nosso corpo tinha adquirido com o treinamento. Alguns estudos apontam que em apenas 1 a 2 semanas já é possível notar isso.

Treino Cardio

Nossa aptidão cardiorrespiratória é a que mais sofre com o destreinamento. A regularidade dos treinos cardio é muito importante. Sabe-se que a capacidade aeróbica em geral aumenta de 15 a 20% durante os primeiros 3 meses de treinamento intenso e pode melhorar em 50% durante um intervalo de 2 anos. Entretanto, quando o treinamento é interrompido, essa capacidade aeróbica diminui rapidamente e pode retornar aos níveis anteriores do início do treinamento. Se você faz corrida, natação ou bicicleta, saiba que a interrupção do treinamento por apenas 2 semanas já reduz substancialmente o desempenho.

Estudos também mostram que em 1 semana de destreinamento, ou interrupção da atividade física, há perda equivalente à 5 semanas de treinamento. Para recuperar o prejuízo, foram necessárias de 3 a 4 semanas de retreinamento.

O destreinamento também modifica a Pressão Arterial que volta a subir sem atividade física na rotina.

Treino Musculação

Falando de musculação, quando os músculos não são utilizados, a frequência da estimulação neural é reduzida e o recrutamento normal das fibras é diminuído. Por isso, parte da perda de força associada ao destreinamento parece estar relacionada a uma incapacidade de ativação das fibras musculares.

Estudos constataram que a interrupção do treinamento por 2 semanas fez com que os atletas tivessem uma perda de 12% de sua força muscular excêntrica isocinética, para termos uma ideia.

O famoso ditado (use-o ou perca-o) é extremamente verdadeiro, pois o destreinamento faz a capacidade muscular cair a níveis menores logo após a interrupção.

Com a interrupção do treino nas férias (30 dias), dependendo do nível de treinamento anterior, observa-se perdas de 8 a 15% na capacidade aeróbica e na força e área muscular.

Se você conseguir manter a atividade física por 1 ou 2 dias na semana nas férias, é possível minimizar as perdas, assegurar os níveis de condicionamento adquiridos e facilitar o retreinamento após o período de férias.

Gostou de saber o tamanho do sseu prejuízo? As informações são do Dr. César Marra

especializado em Saúde Coletiva e integrante da equipe do site 30 Todo Dia.

O Mais Mulher entende o universo feminino e traz informação sobre alimentação saudável, atividade física, yoga, amor, sexo, moda, comportamento e beleza em um só lugar.